Por que as pessoas insistem em não ser elas mesmas?




Por que as pessoas insistem em não ser elas mesmas?

  Uma das muitas perguntas que tenho me feito nos últimos dias, é por que as pessoas são tudo, menos elas mesmas? Ser real, é tão difícil? Temos que nos transformar em arquétipos que muitas vezes causam sensações ruins nas demais pessoas só para parecermos mais fortes? Na verdade ando bem insatisfeita ao perceber no que as pessoas estão se transformando, e como diz minha mãe: “A tendência é só piorar!”.
  As pessoas para provarem a si mesmas que são úteis ou que são boas em algo tem que simplesmente forçar algo que elas não são, se tornando ate em criaturas de difícil compreensão. Na verdade penso que seria mais feliz se não as compreendessem, pois a partir do momento que percebemos quem elas são de verdade eis que surge uma personalidade mesquinha, invejosa e prepotente e lá se vem a certeza que pessoas boas e verdadeiras estão se extinguindo, na verdade digo pessoas verdadeiras porque boas, ate vilões podem ser bonzinhos nos momentos que eles desejam, mas verdadeiras tenho certeza que é uma característica que estamos praticamente perdendo com o tempo.
  O que nos leva a assumir arquétipos desconexos com o que somos de verdade? As pessoas se pegam com exemplos de grandes homens e mulheres para a humanidade, uns usam Madre Tereza de Calcutá, irmã Dulce, Jesus Cristo, Buda e muitos outros exemplos de pessoas benéficas para a humanidade mas eu me pergunto quando iremos usar quem somos de verdade? Ser bom como Jesus, ser caridoso como Tereza de Calcutá e quando seremos verdadeiros, quando seremos nós mesmos?
  Eu só gostaria que as pessoas tivessem identidade própria, não precisar ter que “se inspirar” sobre a vida de outros, ou então querer saber vorazmente como o outro vive para fazer de sua vida um verdadeiro plágio da imperfeição. Eu não quero ter a inteligência de Einstein, nem a boca da Jolie, nem a ressurreição de Cristo, nem a riqueza de Bill Gates... Pois eu já estou bem sendo eu mesma, me conhecendo, me descobrindo diariamente quem eu sou de verdade, me amando e me detestando muitas vezes, me surpreendendo e me decepcionando.
  Então quando as pessoas irão descobrir que ser elas mesmas, com seus estilos próprios, com suas vontades, com seus medos pode ser muito legal... Aliás pode não, é muito legal? Vamos parar de ficar se inspirando na vida alheia. Quer inspiração? Olhe para dentro de si, olhe para sua vida, aposto que quem está ao seu lado não tem nem a metade de sua história de vida e experiência, porque no final de tudo experiências são únicas e pertencem a uma única vida – a sua.
  Não queira ser alguém que você não é, que não tem nada a ver com você... Você ate pode admirar o estereótipo alheio, mas ele é alheio e nunca será o seu estereótipo, só nos resta se contentar com o que nós somos de verdade.

Jéssica Cavalcante

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Amei! Descreve tudo que eu sinto perante as pessoas há muito tempo.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar!
Tenha um dia abençoado e que as bênçãos de Deus sejam sempre frequentes em sua vida! Amém.

 
© Copyright - Mariely Abreu - Design e Codificação - Todos os direitos reservados Voltar ao Topo!